Ferreira -Tervim- Ferreira


Ferrarias Epic 80 kms

Das voltas mais épicas que tive o prazer de fazer, juntamente com os camaradas Rui, Xossé e Eugénio! E muita coisa há para contar! Esta certamente ficará na nossa memória por muitos anos!! Épico, único, recordista, desafiante, exigente, duro, bonito e aventureiro, são nomes que poderíamos dar a estes trilhos, tamanha foram as coisas que nos aconteceram!
7h e qualquer coisa, já estávamos a pedalar (eu só dormi duas horas!!). Parte inicial do percurso bonita, a fazer-se num ritmo moderado e mais do que suficiente. Baixo acumulado, os quilómetros passavam num ápice! 3 gps a funcionar, 2 novos nas nossas mãos. Gostei de navegar com ele, é relativamente simples.
O Xossé fura uma vez, troca a câmara! Mais uns quilómetros, surge um Javali, que passa uma estrada em alta velocidade. Passou entre mim e o Eugénio! Se algum de nós fosse abalroado é que era bonito!
Continuámos rumo a algumas aldeias magníficas, cheias de regatos, extremamente bem organizadas, com muita informação diversa. Aí o Farinha fura as duas rodas a descer, numa estrada aparentemente livre desse perigo! Toca a trocar as câmaras, já iam três. Como era engraçada trocar câmaras, pelo menos sempre se descansava. O pior era voltar ao ritmo que trazíamos, pois arrefecíamos.
Mais uns quilómetros, o Xossé volta a furar! Ainda restava essa câmara! 4, que era aquelas que levávamos! A partir daqui teríamos que aproveitar as melhores, aquelas que dariam para remendar, sem trilhadelas. Belo desafio, este. Corríamos o risco de alguém ter que ficar para trás.
Os quilómetros aqui já eram alguns, e começávamos a senti-los. Uns mais do que outros! Parte dura, os últimos 25, 30 quilómetros. Muita pedra a descer e subidas íngremes.
Passando num trilho paralelo a uma ribeira (foram muitas as que passámos, tal como as praias fluviais, onde até aproveitámos para beber e comer qualquer coisa. Praias estupendas!), demos com um gato a miar, que depressa se juntou a nós. Pequeno, depressa saltou para umas das duas bikes, a minha e a do Eugénio, ao ponto de saltar para o meu colo!). Certamente não estaria perdido, mas também não tínhamos como o trazer. Ficou já numa estrada e perto de casos. Espero que encontre o rumo certo, pois custou-me deixá-lo ali.
A partir daqui, o Zé do Martelo andou sempre perto de mim, até que me apanhou. E que grande martelo ele trazia. Além da martelada que levei, ainda tive que o trazer até Ferrarias. Ainda fomos a tempo de ajudar a tirar um carro que tinha ficado num buraco. Esta volta deu para tudo. A forma do Eugénio é impressionante, a do Xossé idem e a do Farinha também (tirando a parte final que o Zé do Martelo também o apanhou).
Quem sempre nos acompanhou foi o Zé do furo. O Farinha fura novamente em Foz de Alge. 5 furo, desta vez tivemos que remendar a câmara que estava em melhores condições. Felizmente conseguimos e ela chegou à meta com ar. Muito se deu à bomba, principalmente o Xossé. Os treinos de Crossfit certamente servirão para alguma coisa.
Daqui para a frente, ia todo empenado. O maior empeno que apanhei até hoje. Sofrimento até mais não, ao ponto de ter frio, ter calor e só pedir para conseguir chegar ao fim. Avozinha sempre metida, pois cada subida ligeira parecia que tinha uns 20 graus de inclinação. O Rui aqui já me fazia companhia. Água, muita água, nas fontes todas em que passámos. Os últimos 5 quilómetros pareceram 20 ou 30. Sempre com o Eugénio a tirar fotografias. Grande fotógrafo, temos nós. E pedala como tira fotos, tamanha é a quantidade.
Tudo isto deram muitas horas, uma média até razoável, um acumulado bem diferente de que aquele que mencionam. Mas o que é certo é que deu empeno do grande.
Muita coisa haveria para dizer, até porque esta é a minha parte, eles também terão a deles para contar. Passámos um domingo em grande, um domingo extremo para mim, mas passado com euforia, com amizade e entreajuda. Não há dinheiro que pague dias como este. Eu só tenho a agradecer a vossa companhia. Quanto ao resto dos camaradas que não foram, façam o favor de ir. Mas preparem-se, senão acontece-vos como eu.